As Built: saiba o que é e as vantagens desse tipo de projeto

As Built é um termo cada vez mais conhecido entre os profissionais da construção civil e engenharia. Apesar de muitos profissionais já terem ouvido falar sobre, ainda há uma grande parcela que não entende o que é e como aplicar.

Pensando nisso, fizemos este artigo para falar sobre o tema. Qual o significado de As Built e o que seria esse tipo de projeto? Além também de explicar melhor como fazer, quais são as normas e quem é o profissional responsável pelos As Built. São essas questões que responderemos ao longo do artigo.

O que é As Built?

As Built é um termo em inglês que em tradução livre significa “como construir”. Dessa forma, trata-se de um projeto com representações técnicas. Isto é, plantas, fachadas, cortes, implantação, cobertura, entre outros, com as alterações e modificações promovidas durante a construção ou reforma de uma edificação.

Essa metodologia é muito relevante para áreas de engenharia e arquitetura, especialmente para a gestão de edificações comerciais, residenciais ou industriais que abrigam diversos apartamentos e escritórios.

Devido à sua importância, é regido por normas técnicas, como a NBR:14.645:2011, que regula a elaboração de As Built para os edifícios em território nacional.

A importância do As Built é ampla, pois é comum que durante a execução das obras, novas alterações sejam realizadas em relação ao projeto inicial. Dessa maneira, em vez de levar em consideração, como referência, os projetos arquitetônicos e executivos do empreendimento, se leva em consideração o As Built, já com as modificações.

Além disso, durante a vida útil de uma edificação, é comum que sejam realizadas novas alterações, quando ocorrem reformas e adaptações, que são elaboradas pelos usuários do espaço a fim de adequá-lo às suas necessidades.

Dessa maneira, é esperado que o desenho técnico inicial das plantas de engenharia e arquitetura sofram alterações ao longo da vida útil da edificação. Todavia, essas alterações nem sempre são documentadas, especialmente por empresas que não adotam o As Built como metodologia.

Apesar de não ser feito sempre, o registro completo, confiável e atualizado das modificações é fundamental para que no futuro as manutenções e eventuais reformas possam ser feitas sem que comprometa a qualidade da estrutura construída.

Portanto, o As Built trata especificamente sobre esse contexto. Ele relaciona todas as mudanças que foram feitas em relação ao projeto original, desde a construção até o seu uso. Ao fazer o registro técnico e formal das eventuais mudanças não documentadas, é possível prevenir acidentes que podem ocorrer durante a intervenção em imóveis antigos.

Com o As Built, também se torna mais fácil averiguar se a construção se encontra dentro das normas construtivas vigentes. Dessa maneira, evitam-se diversos problemas legais, como alvarás de funcionamento, laudo de corpo de bombeiros, entre outros.

Como fazer As Built

A ABNT NBR 14.645:2011 especifica como deve ser realizado o As Built. O objetivo da norma é padronizar os métodos em todo o território nacional e minimizar as falhas que ocorrem no processo de engenharia da construção civil. Contudo, falaremos de forma mais profunda sobre essa norma posteriormente.

De maneira geral, a elaboração do As Built pode ser dividida em duas principais etapas. A primeira delas está relacionada ao levantamento de todas as medidas dos sistemas que compõem a edificação.

Já a segunda etapa corresponde ao relato e representação gráfica da edificação. Isto é, desenhos e plantas técnicas das alterações analisadas na obra.

Um ponto que precisa ser destacado é que, embora o As Built seja uma versão final de um projeto, é necessário que ele indique o histórico de todas as revisões feitas. Dessa maneira, fica mais fácil compreender as razões que levaram a serem efetuadas as mudanças na edificação.

Além das normas legais que tratam sobre a metodologia, é importante destacar que a tecnologia também tem um importante papel na elaboração do As Built.

Dessa maneira, como a finalidade do As Built é documentar as condições da construção, ela funciona como uma minuciosa radiografia da estrutura, revelando o que foi efetivamente construído, englobando a configuração arquitetônica com estrutura, instalações, entre outros.

Assim, o As Built implica a manutenção de um registro atualizado sobre a edificação. Até pouco tempo, essa metodologia era elaborada a partir de um levantamento métrico detalhado manualmente. Contudo, essa técnica tende a apresentar diversos erros sobre o processo.

Por isso, de maneira mais recente, os profissionais responsáveis pelo processo passaram a utilizar tecnologias que possibilitam captar de forma digital os ambientes da edificação. Os resultados de tais avanços são notados em maior detalhamento, precisão, maior detalhamento e, especialmente, na economia de tempo e recursos.

A sondagem com ultrassom de elementos estruturais confere um excelente exemplo sentido. Além dele, podemos destacar o escaneamento a laser (3D), que é utilizado desde a década de 1990 (ainda em forma tímida), mas que vem ganhando cada vez o mercado da construção.

Ademais, o escaneamento a laser fornece de modo rápido e preciso, os detalhes gerais de cenas digitalizadas através de uma nuvem de pontos 3D.

Essa técnica oferece outras vantagens, como o uso da tecnologia BIM como instrumento para elaboração de As Built. Afinal, vale relembrar que a tecnologia BIM oferece mais possibilidades do que a mera representação tridimensional.

O BIM é capaz de centralizar informações parametrizadas de toda a edificação, tornando possível uma gestão automática de dados para a manutenção e operação. Dessa forma, nuvens de pontos do laser scan podem ser utilizadas para a criação de modelos As Built 3D em BIM. 

A regulamentação com a NBR 14.645:2011

Como falamos anteriormente, a norma que regulamenta a elaboração do As Built é a ABNT NBR 14.645:2011. Ela cria as diretrizes e regulamenta todos os processos do As Built, incluindo:

  • As Built Arquitetônico;
  • As Built Elétrico;
  • As Built Hidrossanitário;
  • Outras tipologias.

A gestão se torna mais eficiente quando as normas são seguidas. Além do mais, seguir a norma resguarda os responsáveis técnicos de eventuais problemas legais.

Aliar a técnica com o seguimento das normas e tecnologia promove um futuro saudável no que diz respeito à elaboração do As Built.

Quem faz os As Built?

O As Built é um procedimento que deve ser feito por profissionais da construção civil com um alto nível de experiência e conhecimento técnico sobre os procedimentos construtivos. Afinal, ele é responsável por fazer um diagnóstico completo na obra, a fim de descobrir quais foram as modificações feitas.

Desse modo, o profissional deve ser polivalente, reunindo conhecimentos técnicos de escritório e da prática construtiva. Em geral, engenheiros são os mais gabaritados para essa atividade, mas os arquitetos também conseguem desenvolvê-la. O ideal é ter uma equipe para obter um resultado mais completo.

Sendo assim, o As Built é um procedimento fundamental para uma gestão correta de edificações, sejam elas residenciais, comerciais ou industriais. Os usos de tecnologias, como o BIM, só otimizam o processo.

Gostou do que leu sobre As Built? Conheça também 7 métodos construtivos e as vantagens de cada um deles.

Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Downloads

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

Construtechs ganham cada vez mais destaque no mercado

Trabalho em altura: 8 medidas para profissionais da construção

PBQP-H: o que é e como construtoras podem aderir ao programa

Economize 80% de tempo na hora de fazer orçamento de obras

Aumente a produtividade e competitividade do seu negócio com o suporte do software líder do mercado.