BIM 5D: Saiba como funciona o orçamento de obra em modelo BIM

Os processos da construção civil avançam de acordo com a tecnologia disponível. Elas, por sua vez, agem sobre diferentes etapas e setores, como planejamento e orçamento de obras. Neste sentido, o BIM 5D corresponde a uma tecnologia muito promissora.

Assim, é importante que os profissionais, especialmente aqueles ligados à orçamentação e orçamento de obras, e empresas do ramo da construção, conheçam mais sobre este importante tema. Pensando nisso, fizemos este artigo para abordar sobre o conceito de BIM (Modelagem da Informação da Construção) e as suas dimensões.

Passaremos por tópicos diversos para responder o que é o BIM, especialmente o orçamento em modelo BIM, ou seja, o próprio BIM 5D. Além de entendermos melhor porque ele vem ganhando cada vez mais espaço no mercado e quais são as suas vantagens e influências na gestão do orçamento de uma obra. 

Entendendo o BIM

Antes de falarmos especificamente sobre o BIM 5D é necessário entender um pouco antes sobre o BIM em um contexto gera. Assim é importante saber que o BIM, abreviação de Building Information Model, corresponde a uma evolução na forma de conceber e executar uma obra na construção civil.

Antes da sua criação, os projetos eram feitos de forma 2D, com o detalhamento do projeto a partir de vários desenhos técnicos diferentes. Além disso, o 3D era feito de forma separada aos desenhos técnicos como cortes e planta baixa. Isso, além de aumentar o tempo de projeto, levava a muitos erros por falta de integração entre diferentes áreas (estrutura, arquitetura e complementares, por exemplo).

Ademais, a alteração de um elemento arquitetônico levava a mudança em todas as outras plantas, o que aumentava a necessidade do retrabalho. O alto número de informações requer uma grande necessidade de revisões e atenção e um erro ou outro costumava passar e só era percebido em obra.

Em vista disso, o BIM veio para revolucionar essa questão. De repente, não era mais necessário fazer diversos desenhos técnicos em 2 dimensões, mas obtê-los a partir de um modelo digital da construção. Ou seja, desse modo, é construído um modelo digital à construção, de forma fiel ao que será edificado.

A partir desse modelo em três dimensões, é possível obter todas as outras plantas técnicas necessárias, além do planejamento e orçamento de obra.

As dimensões do BIM

Para otimizar o processo e conhecer mais sobre a aplicação do BIM na construção civil, é necessário conhecer as diferentes esferas que ele apresenta:

  • BIM 3D: representação tridimensional da construção;
  • BIM 4D: análise de duração;
  • BIM 5D: análise de custos;
  • BIM 6D: sustentabilidade;
  • BIM 7D: gestão da construção.
BIM 3D
Conheça as dimensões do BIM

A esfera é referente a representação tridimensional da edificação — maquete eletrônica. A partir desta, podem ser extraídos os desenhos técnicos como planta e corte. Contudo, vale destacar que o modelo é feito de diferentes formas, de maneira paralela (a partir das plantas em 2D e modelo 3D).

A dimensão 4D, por sua vez, trata sobre análise de duração. A 5D é referente a análise de custo da obra (orçamentação, orçamento, entre outros). Sobre ela, nos aprofundaremos posteriormente. Já a dimensão 6D diz respeito à avaliação de sustentabilidade e, por fim, a esfera 7D está ligada à gestão da construção.

O que é o BIM 5D?

A dimensão 5D do BIM, ou seja o BIM 5D, apresenta como finalidade realizar a estimativa de custos de uma determinada obra ou edificação. Assim, o BIM coleta uma série de quantidades precisas de informações e, com isso, produz o orçamento para todo um ciclo de vida do projeto.

Portanto, o BIM é uma tecnologia que aceita que engenheiro, orçamentistas e arquitetos obtenham dados e informações precisas a respeito das etapas da construção.

A variável econômica é embutida no modelo 3D para que os profissionais consigam avaliar os custos do projeto, edificação e obra. Assim, torna-se mais fácil estipulá-los e controlá-los. Além disso, fica mais simples estimar as despesas relacionadas à obra. Para isso, é essencial atribuir um preço a cada serviço e material da obra.

Em seguida, o modelo digital é utilizado para obtenção dos desenhos técnicos (planta baixa, corte, planta de cobertura, etc.). Assim é possível obter os levantamentos quantitativos da obra, tal como os cálculos de forma direta a partir do modelo digital produzido pela tecnologia BIM.

Dessa maneira, o BIM 5D conecta o modelo digital da edificação (plantas técnicas e 3D) com as estimativas e processos de custos. A partir dessa integração, é possível melhorar o projeto da edificação e torná-lo mais ágil, especialmente em processos como planejamentos de custos, orçamentação e orçamento de obras.

Por ser uma reprodução real da obra (só que de forma digital), os dados e informações apresentados são sempre fidedignos ao projeto. Dessa maneira, há uma proximidade real entre a previsão lançada com o que realmente é gasto na execução da obra.

Esse é um dos pontos mais marcantes do processo 5D do BIM, pois a construção costuma ser um ambiente de incertezas. Com isso, cabe aos gestores e profissionais diminuir essa incerteza e torná-la mais previsível. Todavia, é importante considerar pontos para que se tenha uma gestão orçamentária mais fiel.

As vantagens do BIM 5D para o planejamento do orçamento

Entre os principais benefícios que a utilização da dimensão 5D proporciona a uma gestão de orçamento de uma obra, podemos destacar:

  • Rapidez no cálculo dos custos: como o BIM utiliza as informações de maneira integrada, torna-se mais fácil e rápido a execução dos cálculos pertinentes ao orçamento;
  • Controle e análise de custos: como cada detalhe do orçamento é monitorado e rastreado, é possível obter maior precisão sobre o cálculo e controle dos custos da obra;
  • Economia: talvez o mais importante benefício seja a economia tanto de custos e recursos humanos. Isso ocorre por conta do maior controle e velocidade no processamento de informações dos custos, assim como menor trabalho exigido para executar o orçamento.

Outro ponto importante a comentar sobre o BIM 5D é sobre o seu efeito sobre os processos de tomada de decisão e planejamento da obra. Isso acontece por conta do compartilhamento de informações no modelo BIM, que permite a colaboração entre todos os elementos evolvidos no processo de construção. Desse modo, a dimensão 5D do BIM permite monitorar de forma constante os custos da obra.

Além disso, abre-se a possibilidade de realizar, de forma mais simples e prática, a alteração no orçamento da obra, de acordo com as integrações planejadas e necessidades do cliente.

Também é importante frisar que o BIM 5D leva a uma maior previsibilidade e precisão nos custos da edificação, assim como a quantidade de materiais, alterações nas quantidades de materiais e elementos construtivos. Com isso, abre-se a possibilidade para a criação de edificações mais acessíveis, eficientes e sustentáveis economicamente. PorEm um ambiente marcado pelas incertezas do mercado e do próprio segmento, a assertividade das previsões corresponde a um grande diferencial competitivo das empresas da construção civil.

Assim sendo, o BIM é uma ferramenta extremamente importante para a gestão de obra nos dias atuais. Por gerar um modelo 3D da edificação, ele é muito atrelado, erroneamente, a um software que une a maquete eletrônica às plantas técnicas. Mas ele é muito mais que isso, agindo sobre outros fatores como a gestão de obra e o orçamento, como podemos observar sobre a dimensão 5D do BIM.

Por fim, vale destacar que o direcionamento legal no país caminha para a ampliação do uso do BIM para obras públicas, tanto por meio da Nova Lei de Licitações como por meio do Decreto BIM. Ambos, inclusive, já em vigor.

O OrçaBIM como ferramenta para orçamento em BIM

No mercado, existem diversos softwares disponíveis para a elaboração de orçamento de obras. A finalidade desses sistemas está em integrar e automatizar processos. Assim, eles se tornam mais efetivos e precisos.

O OrçaBIM, por exemplo, é um plugin disponibilizado pela OrçaFascio para que empresas consigam integrar o sistema de orçamento de obras OrçaFascio ao Revit para orçamentos em BIM. Assim, o BIM 5D se torna mais efetivo ainda. Isto é, o OrçaBIM garante a redução de tempo de trabalho e evasão de custos do empreendimento ao extrair automaticamente os quantitativos do projeto no Revit, sem necessidade de levantamentos manuais.

E com a natureza do software voltada para obras públicas e a exigência da utilização gradual do BIM para licitações, a ferramenta se torna imprescindível para os dias atuais.

Veja como OrçaBIM funciona integrado ao Revit para elaboração de orçamento 5D

Agora que você já sabe mais sobre o BIM 5D e OrçaBIM, aproveite e baixe os artigos avançados para orçamentos em modelos BIM na Trilha do Conhecimento OrçaBIM


Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

NR 21: cuidados para trabalhadores em canteiro de obras

Saiba o que é a NBR 5410 e quando ela deve ser aplicada

Cálculo de materiais de construção: 9 dicas para economizar