Indústria da construção civil prevê crescimento de 4% em 2021

Desde o século XX a indústria da construção civil se mostra um importante motor da economia nacional. Após um crescimento exponencial no início da década de 2010, a indústria passou por um período de baixo crescimento, mas logo se recuperou. Contudo, em 2020 tivemos a pandemia do novo coronavírus, que afetou toda a economia.

Essa nova crise gerou grande insegurança entre profissionais e investidores do setor. Porém, novas perspectivas garantem que esse temor já deve ficar no passado e a indústria apresenta vários sinais de retomada.

Indústria da construção civil pré-pandemia

A década de 2010 iniciou de forma muito promissora para a construção civil no país. Impulsionado por investimentos públicos em obras de infraestrutura e crédito para programas de habitação, a indústria da construção civil viveu um dos melhores momentos de sua história.

Contudo, a partir de 2015 começamos a vivenciar uma crise sem precedentes no Brasil que se arrastou até o final da década. Em 2019, o setor começou a dar sinais de crescimento. Uma grande diferença em relação ao início da década foi que o crescimento se deu por conta, sobretudo, de investimentos do setor privado.

Em 2019, a indústria da construção civil mostrava grande recuperação, conforme revelou a Pesquisa Anual da Indústria da Construção Civil (PAIC) — realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O crescimento apontado para o setor foi de 1,5%. Além disso, também houve crescimento no número de empregos criados, após alguns anos de estagnação ou mesmo queda.

A maior parte da produção do setor foi em construção de edifícios (R$ 127,3 bilhões), obras de infraestrutura (R$ 92,8 bilhões e serviços especializados (R$ 67,9 bilhões), totalizando R$ 273,8 bilhões para obras e serviços de construção, além de R$ 14,2 bilhões em incorporações.

Ou seja, após um período de estagnação a construção civil mostrava sinais de recuperação.

O início da pandemia e os resultados de 2020

No início do ano de 2020 o Brasil viveu, acompanhado do restante do mundo, uma crise sanitária por conta da pandemia do novo coronavírus. Logo essa crise sanitária se tornou também uma crise econômica, e todos os setores produtivos foram afetados. Com a construção civil não poderia ser diferente.

Os primeiros meses foram os mais incertos para o setor e previsões de uma grande recessão no setor foram feitas. Todavia, nos momentos mais difíceis a indústria da construção civil no Brasil mostra a sua força e a sua resiliência. Já em meados do mesmo ano o setor mostrou sinais de recuperação.

Segundos dados da Confederação Nacional da Indústria, temos o seguinte panorama para 2020 de acordo com os meses:

  • Março: Queda brusca de crescimento. Mês mais preocupante do ano por conta das incertezas da pandemia;
  • Abril: Pico de queda com a aprovação do isolamento social para contenção da nova epidemia;
  • Maio: O setor se mantém em queda e ainda não dá sinais de recuperação;
  • Junho: O setor começa a mostrar sinais de recuperação;
  • Julho: O mês de julho apresentou números semelhantes ao período pré-pandemia;
  • Agosto: Algumas atividades do setor de construção civil já mostravam crescimento;
  • Setembro: Empregabilidade na indústria da construção civil começa a crescer;
  • Outubro: Recorde de crescimento na geração de emprego no setor desde outubro de 2019;
  • Novembro: Estabilidade no crescimento e leve aumento na empregabilidade do setor;
  • Dezembro: Crescimento continuou estável, dando sinais de que a recuperação é sustentável.

Os sinais de recuperação da indústria da construção civil

Por vezes, informações sobre retomada de crescimento em um determinado setor da economia podem ser enganosas. Afinal, nem toda recuperação é sustentável. Para o crescimento no setor da construção civil, não parece ser o caso, pois após a queda no ano de 2020, já tivemos o período de estabilidade que parece pavimentar o crescimento para os próximos anos.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o setor da construção civil terá crescimento de 4% para o ano de 2021. Esse crescimento será alimentado especialmente por projetos de grande porte.

Segundo o IBGE, os setores de imóveis e saneamento são os responsáveis pela geração de mais de 200 mil vagas de emprego na construção civil no ano de 2021.

Dessa maneira, temos um crescimento que é referente tanto ao valor global dos investimentos no setor quanto à geração de empregos, o que indica a resiliência do crescimento.

Vale destacar que o crescimento no setor foi possibilitado por inúmeros fatores, como o abrandamento da pandemia no ano de 2021, vacinação em massa dos trabalhadores e população em geral — menos casos, menos internações e, consequentemente, menos óbitos.

Outro ponto muito importante a se comentar, apesar da alta na construção civil 2021, está na inflação crescente no país. Essa inflação também afetou a construção civil, mas também começa a dar sinais que pode estar se estabilizando.

Segundo o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), a variação para o mês de agosto foi de apenas 0,46%, menor variação registrada desde junho de 2020.

Essa estabilidade apontada pelo INCC é referente tanto aos valores de mão de obra quanto dos materiais, o que indica uma tendência de menor influência da inflação no setor da construção civil.

Outro importante índice da construção civil, o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices (SINAPI), calculado pelo IBGE, também mostra a tendência de desaceleração em agosto de 2021 em relação aos meses anteriores do mesmo ano e ano de 2020.

Assim como ocorreu com o INCC, a desaceleração foi motivada pelo arrefecimento do custo da matéria prima. A alta do índice, segundo o SINAPI, foi de apenas 0,9%, em contraste a um crescimento de 1,89% no mês de julho de 2021.

Ou seja, variados índices da construção civil, que usam diferentes metodologias para realização do cálculo convergem para uma mesma conclusão: o setor da construção civil começa a dar claros sinais de que voltará a ser protagonista na economia nacional, tanto no que diz respeito à participação do PIB quanto para a geração de empregos.

Assim, após um período de certa instabilidade, a indústria da construção civil no país mostra mais uma vez por que é uma das protagonistas na economia nacional, se recuperando rapidamente e alavancando a volta do crescimento econômico.

Gostou do conteúdo? Então, conheça mais sobre os índices utilizados para a construção civil.

Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

NR 21: cuidados para trabalhadores em canteiro de obras

Saiba o que é a NBR 5410 e quando ela deve ser aplicada

Cálculo de materiais de construção: 9 dicas para economizar