Orçamento Executivo de Obra: tudo que você precisa saber

Orçamento de obras é um dos elementos basilares da construção civil. Afinal, só existe construção mediante investimento financeiro e seu retorno. Nenhuma empresa de construção funciona para construir e obter prejuízos, pois, no médio e longo prazo, isso leva, inevitavelmente, à falência do negócio. Dessa maneira, se faz necessário conhecer o Orçamento Executivo de Obras e todas as suas nuances.

Para esta finalidade, elaboramos este artigo para tratar sobre os principais pontos desse importante documento.

Acompanhe!

O que é o Orçamento Executivo de Obra

Antes de tudo, é preciso compreender bem o que significa esse conceito. Ele tem um grande diferencial em relação ao orçamento convencional, pois se preocupa minuciosamente com os detalhes da obra que será executada.

Por exemplo, o foco não está ligado apenas na obra principal, mas também em todos os serviços auxiliares que precisam ser executados.

Na abordagem convencional de orçamento de obras, a orçamentação é realizada a partir de uma base na obra pronta, o que significa que os processos que fizeram a obra chegar até lá não foram considerados — ou não foram considerados da forma que deveriam. Por outro lado, o orçamento executivo se baseia no estado em que a obra está a cada momento.

Dessa forma, o objetivo do detalhamento é otimizar todos os recursos durante a obra:

  • Físicos;
  • Financeiros
  • Humanos;
  • Tempo.

Portanto, para isso, os custos são atualizados ao longo do tempo de forma que ela ficará alinhada com o propósito inicial.

Como tudo é realizado a partir de um cálculo muito preciso, com uma margem de erro pequena, é possível obter várias informações com ele. Por exemplo, o cronograma físico e financeiro, viabilidade técnica e econômica, e muitos outros.

Por causa disso, existem diversas vantagens ao implementar o modelo de orçamento, como a possibilidade de evitar certos imprevistos negativos. Afinal, o gestor não precisará mais antecipar ou adiar a compra de determinados materiais e insumos, pois o cronograma já estará bem definido.

Vale destacar que o sistema também atua em sentido oposto. Isto é, permite que se encontre problemas e falhas durante a execução de uma obra de construção civil. Assim, é possível que ajustes sejam realizados em todas as etapas da construção.

Vantagens de um bom Orçamento Executivo

E as vantagens de adotar o orçamento executiva da obra? Bem, elas vão desde a potencialização da transparência da obra — muito importante para evitar vícios na empresa, quanto para aumentar o poder de decisão dos construtores. Além disso, melhora o gerenciamento dos fatores de custo e tempo.

Com o orçamento executivo, o gestor da obra consegue antecipar e evitar imprevistos, conforme destacamos anteriormente. Também consegue analisar se os recursos financeiros disponíveis serão suficientes, obter maior poder de barganha ante negociação com fornecedores e na obtenção de empréstimos e financiamentos. E, o melhor de tudo, consegue uma larga vantagem competitiva frente aos seus concorrentes.

Os parâmetros orçados estão ligados de modo intrínseco com a execução. Com isso, temos como resultado a otimização do setor de suprimento, balanceamento das equipes de trabalho, tempos improdutivos de certas operações, pois torna transparente a cadência dos materiais necessários.

Estas atitudes transformam o orçamento em uma importante fonte da racionalização do gerenciamento de obras. É necessário, ainda, levar em consideração que o orçamento executivo aumenta o controle de gastos. Dessa forma, funciona como uma importante ferramenta de controle das atividades produtivas e operacionais em uma obra.

Portanto, o orçamento executivo consegue flagrar, caso tenha, distorções de valores, problemas de produtividade e pontos de ineficiência. Outras vantagens envolvem a apuração de índices econômicos, financeiros e lucratividade.

Principais pontos

Ao mesmo tempo que esse instrumento é muito importante, é também desafiador.  Dessa maneira, os três principais pontos a serem alcançados com ele são:

Além desses pontos, é necessário que o orçamento cubra também obras e serviços auxiliares, como o canteiro de obras.

É evidente que os orçamentos precisam acompanhar a realidade da execução das obras. Dessa maneira, é fundamental que o processo seja conduzido por um engenheiro experiente e com competência para realizar essa atividade.

Afinal, o exercício apresenta como finalidade ser extremamente preciso, com uma margem de erro que não deve passar de 5%. Também apresenta o objetivo de obter acesso a materiais como projetos executivos, memorial descritivo de obra e edital de concorrência, se existir.

Como fazer

E agora, como fazer um orçamento executivo de obra? Para fazê-lo, é essencial elaborar o memorial de cálculo do orçamento, em que se determina todos os serviços e materiais que fazem parte das obras. A finalidade é atender as especificações existentes para facilitar a compra de insumos necessários e contratação de mão de obra.

Para que o processo se torne mais simples, é importante organizar as informações, separando-as de forma lógica. Podem ser divididos em relação às obras auxiliares que precisam ser realizadas e seu tipo: obras hidráulicas, elétricas, civis, etc.

Quando tudo isso for definido, três pontos devem ser destacados: quantificação, orçamento por unidade e resumo geral.

Quantificação

Nesta etapa, é preenchida uma memória de cálculo de cada unidade construtiva, em que são documentadas todas as informações sobre materiais e serviços necessários para a construção. Como mencionado anteriormente, isso envolve também as obras auxiliares.

Para as situações de serviços que necessitam de maior detalhamento, como travessias, interferências, entre outros, recomenda-se um relatório a parte com os serviços e materiais necessários para cada um deles.  

Orçamento por unidade

O orçamento por unidade é feito a partir da quantificação. Para encontrar a unidade e a quantificação, é necessário se ater às referências encontradas no mercado da construção civil.

Resumo Geral

O resumo geral é um grande compilado das principais informações obtidas nos dois pontos anteriores.

Software OrçaFascio para Orçamento Executivo da Obra

Orçamento de obras é coisa séria. Dessa maneira, é necessário investir em instrumentos que aumentem a eficiência da execução destes documentos. Softwares, que automatizam e tornam o processo mais eficiente são sempre bem-vindos.

E quando o software é intuitivo, integrado a novas tecnologias (especialmente BIM) e leva em consideração as diretrizes do Tribunal de Contas da União (TCU), sua implementação na empresa de construção se faz ainda mais necessário. Por isso, o OrçaFascio é utilizado em todo o país e se consolida cada vez mais para orçamento de obras (convencional) e orçamento executivo da obra.

Gostou do que leu? Então, aproveite e baixe nosso e-book sobre Projeto Executivo que traz tudo que você precisa saber para não errar na montagem do projeto e precificação da obra.

Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

Anterior
Próximo