Saiba o que é e o que deve conter um projeto executivo

O projeto é a fase que antecede a execução da obra. Ele se divide em várias etapas: estudo preliminar; anteprojeto; projeto legal e projeto executivo. O projeto tem como finalidade planejar e indicar as etapas da construção, assim como determina como, quando e de que maneira será construída a edificação.

Embora a importância do projeto seja imensa, muitos profissionais ainda não conhecem todas as informações necessárias sobre o projeto executivo de arquitetura, e, quando conhecem, costumam não dar o devido valor.

Dessa forma, fizemos este artigo para tratar de forma profunda sobre o assunto, falando sobre o que é, qual a diferença entre projeto básico e projeto executivo, como fazer este documento essencial e quem é o responsável por fazê-lo legalmente.

O que é projeto executivo?

O projeto executivo é o documento que oferece as maiores informações sobre a obra entre todos os projetos existentes na legislação brasileira. O detalhamento de projeto nessa etapa é muito superior às etapas anteriores, pois o projeto executivo serve como um manual de instruções para quem está no canteiro de obras.

A definição de projeto executivo pode ser encontrada no Manual de Obras Públicas. Segundo este manual, o projeto executivo consiste:

“Conjunto de informações técnicas necessárias e suficientes para a realização do empreendimento, contendo de forma clara, precisa e completa todas as indicações e detalhes construtivos para a perfeita instalação, montagem e execução dos serviços e obras objeto do contrato”.

Vale destacar que o projeto executivo não é um novo projeto, mas sim uma extensão e detalhamento do que já foi produzido anteriormente no anteprojeto, também conhecido como projeto básico.

Ademais, ele deve estar de acordo com as determinações da ABNT — Associação Brasileira de Normas Técnicas, especialmente no que diz respeito à representação e o que deve conter uma planta de projeto executivo.

Desse modo, é importante não deixar de incluir todas as partes necessárias e formatar o documento da forma que é pedido pelo órgão. Caso isso não seja feito, o projeto executivo pode perder a validade e a empresa enfrentar diversos problemas para obter alvarás e licenças para a obra.

Outro problema que pode ser gerado pela não adequação do projeto executivo às normas existentes está na perda de processos de licitação.

Qual a diferença entre os projetos básico e executivo?

Embora sejam documentos diferentes por essência, muitos profissionais confundem o projeto básico com o projeto executivo. Como já falamos sobre o projeto executivo, falaremos agora o que é o projeto básico e, posteriormente, como eles se diferenciam entre si.

O projeto básico, também conhecido como anteprojeto, é a proposta final a ser apresentada ao cliente. Ele deve conter:

  • Plantas baixas;
  • Planta de cobertura;
  • Fachada;
  • Cálculo de dimensões das áreas;
  • Estrutura do projeto;
  • Apresentação em 3D e outros aspectos gráficos.

Nessa etapa de projeto, o cliente é peça fundamental e deve aprovar todos os pontos: distribuição dos espaços, forma da edificação, escolha dos materiais, estrutura do projeto, entre outros elementos.

Essa etapa é a fase que antecede a execução da obra. Dessa forma, é o momento para pedir as últimas alterações e mudanças. Caso isso não aconteça, e essas solicitações ficarem para depois, mudanças no projeto deverão ser feitas, o que irá gerar perda de tempo, recursos e mais gastos.

Dessa forma, a diferença principal entre o projeto básico e o executivo é que o primeiro é feito para o cliente. Dessa maneira, contém informações mais gerais sobre a edificação, mas que indicam todas as informações que o cliente precisa saber para aprovar a construção da edificação.

Já o projeto executivo não é feito para o cliente, mas sim para os profissionais que atuam no canteiro de obra. Dessa maneira, contém informações completas sobre a edificação, materiais que serão utilizados e a forma como a construção deverá ser feita.

Funciona, basicamente, como um manual de construção para os operários da construção civil. Por isso, deve apresentar informações claras e precisas sobre o processo. Caso algum erro ocorra na obra, geralmente o problema se dá por algum equívoco no projeto executivo ou erro de execução.

Além disso, pode existir um erro de representação e comunicação entre o projeto e o responsável pela execução da obra. Por isso é importante contar com bons profissionais e com uma padronização dos projetos.

Como fazer o projeto executivo

O projeto executivo deve conter todos os detalhes do projeto básico com acréscimo de informações. Dessa maneira, ele deve apresentar:

Além disso, para evitar surpresas e erros estruturais durante a execução das obras, o projeto executivo deve conter também relatório técnico com complementação do memorial descritivo, além do memorial de cálculo.

Deve apresentar também o orçamento detalhado da execução dos serviços e obras. Um bom jeito de acertar no projeto executivo é ter ideia do que não fazer, grande parte dos projetos não aceitos em licitações públicas, ou mesmo de obras embargadas pelo governo, apresentam erros no projeto executivo.

Desenhos técnicos sem revisão, superfaturamento, erros de cálculo e informações não precisas são alguns dos problemas mais recorrentes que podem levar a acidentes, perda de recursos de clientes e empresas durante a obra ou mesmo interdição e paralisação da construção.

Vale destacar que, dependendo da gravidade da situação e do tipo de obra que é realizada, as obras públicas, por exemplo, a empresa e profissionais responsáveis pelo projeto executivo — engenheiros e arquitetos — podem enfrentar problemas na esfera judicial.

Entre os exemplos maiores do que não fazer, temos a Refinaria de Abreu e Lima, iniciada no ano de 2005 e com custo estimado em US$ 2,5 bilhões. As obras da refinaria foram iniciadas antes mesmo da Petrobras apresentar o projeto básico completo.

Dessa maneira, o projeto executivo ficou prejudicado e foi impossível de ser colocado em prática. Afinal, o projeto executivo deve acompanhar a execução da obra, orientando a construção, e não chegar após a construção já ter iniciado.

À medida que as obras avançaram, os erros por conta da falta de planejamento e projeto começaram a aparecer e se tornaram insustentáveis, aumentando os gastos da obra de forma exponencial.

Quem é o profissional responsável?

O responsável pela elaboração do projeto executivo é aquele que está à frente do projeto, arquitetos ou engenheiros. Apesar de ambos apresentarem atribuições legais para elaboração do projeto executivo, recomenda-se, especialmente para obras civis, a contratação de um arquiteto.

O profissional arquiteto apresenta qualidades diferenciadas para elaboração do projeto executivo, devido à sua formação e vivência profissional. Contudo, existem tipos de projeto e construção que se encaixam melhor a um engenheiro. Como tudo no universo da construção, depende de cada caso.

Para outros casos, o designer de interiores também é responsável pela elaboração de projetos executivos, mas apenas para projetos de design que não afetem a estrutura ou precisem de serviços de construção, demolição ou ampliação de espaços.

Sendo assim, o projeto executivo é um importante documento para o canteiro de obras, pois serve como manual para os operários que atuam em campo. Por isso, deve ser feito com cuidado e seguindo as regras legais e da empresa para oferecer um melhor resultado.

Saiba também por que o projeto estrutural é fundamental para qualquer obra. 

Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

NR 21: cuidados para trabalhadores em canteiro de obras

Saiba o que é a NBR 5410 e quando ela deve ser aplicada

Cálculo de materiais de construção: 9 dicas para economizar