Saiba o que faz um técnico em edificações e como se tornar um

Entre os profissionais que fazem parte da construção civil, destacamos aqui o técnico em edificações, que desempenha um papel essencial para a obra. Todavia, apesar da sua importância, nem todos sabem qual o seu papel e confundem com atribuições de outros profissionais.

Com o intuito de esclarecer essa questão e falar de forma completa sobre a profissão, fizemos este artigo. Falaremos sobre o que é o que faz um técnico em edificações, como se tornar um profissional em edificações, salário, formas de trabalho, cursos que o profissional pode desenvolver, entre outras informações relevantes.

Está interessado no assunto? Então, leia este conteúdo até o final para saber tudo sobre o que faz um técnico em edificações!

O que faz um técnico em edificações?

O técnico em edificações é em geral o braço direito de engenheiros e arquitetos na obra. Isto é, da fase de fundação até o acabamento, o profissional desempenha papel essencial para a construção.

Portanto, ele deve estar atento quanto a tudo que ocorra em obra, analisando as normas e verificando se a construção está adequada aos parâmetros legais.

E o trabalho do técnico em edificações vai desde o escritório até o canteiro de obras. Ou seja, desde os projetos até a aplicação de testes de qualidade nos materiais que serão utilizados na obra.

Por estar envolvido em todas as etapas da construção, o trabalho deste profissional é vital para a construção civil e para a segurança dos demais operários envolvidos na obra. Mas afinal, qual é a função de um técnico em edificações?

A atividade do profissional não está focada em apenas um processo, mas se desdobra em muitas atividades.

No escritório, o técnico em edificações desenvolve atividades como:

  • Elaboração de cronogramas;
  • Desenho de projetos;
  • Definição da equipe de trabalho;
  • Especificação dos materiais necessários à obra;
  • Negociação e gestão por software, telefone, e-mail;
  • Pedido de orçamentos.

Entre os projetos elaborados pelo profissional, podemos citar os hidrossanitários, elétricos, de gás, de estrutura metálica, concreto, entre outros, sempre levando em consideração as normas técnicas e conhecimentos científicos sobre os materiais.

No canteiro de obras, o técnico em edificações também desenvolve uma série de funções, tais como:

  • Aplicar normas técnicas de saúde, segurança, higiene e meio ambiente em toda a obra;
  • Dar o destino adequado aos resíduos produzidos em obra;
  • Encaminhar os materiais para o depósito ou para uso imediato;
  • Realizar testes de qualidade do material, como teste de resistência do concreto;
  • Receber materiais e verificar se a entrega corresponde ao pedido;
  • Coordenar a equipe para que a obra não atrase.

Dessa forma, por tudo que foi exposto, o profissional deve ter uma noção completa sobre todos os processos que compõem uma obra, passando pela gestão de pessoas, gestão de materiais e conhecimentos técnicos sobre projetos e materiais.

A empregabilidade do técnico em edificações é elevada. Dessa maneira, é uma boa pedida para quem almeja entrar no universo da construção civil ou mesmo exercer uma função em um patamar mais elevado.

Como se tornar um técnico em edificações

Para atuar e se tornar um profissional técnico em edificações, é necessário se matricular em um curso técnico em edificações. Para isso, deve estar cursando ou já ter concluído o ensino médio.

O curso tem duração média de 2 anos e apresenta uma carga horária de cerca de 1.200 horas, entre aulas práticas e teóricas. E o que se estuda no curso técnico em edificações? Entre as principais disciplinas, temos:

  • Higiene e segurança do trabalho;
  • Sistemas estruturais;
  • Gestão da qualidade;
  • Mecânica dos solos e fundações;
  • Impactos ambientais;
  • Resistência dos materiais;
  • Topografia;
  • Práticas da construção civil;
  • Desenho de construção civil;
  • Desenho técnico;
  • Informática aplicada (AutoCad, BIM, etc.);
  • Introdução à construção civil.

Ao final do curso, o aluno deve passar por estágios supervisionados em escritórios de arquitetura e engenharia, a fim de desenvolver na prática os conhecimentos obtidos durante o curso.

Uma vez formado, o então profissional obtém sua Carteira de Registro no Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT).

Média salarial da categoria

O salário de um técnico em edificações está atrelado a diversos fatores, como região em que o profissional está inserido, empresa em que atua e funções que desempenha na empresa e na obra.

Segundo informações do site Catho, que coleta dados disponibilizados por profissionais, podemos indicar algumas médias.

Em estados como Rio de Janeiro e São Paulo, os salários são mais altos, natural pela condição dos estados serem as maiores economias do país. Todavia, há um valor elevado também para estados do norte do país, o que mostra uma alta demanda profissional nesta região.

Entre os empregadores que costumam pagar mais a este profissional, temos as incorporadoras. A média salarial encontrada para a profissional foi de R$ 2.408,01.

De que maneira o técnico em edificações pode trabalhar?

O técnico em edificações pode trabalhar de diversas maneiras. Em geral, costuma ter carteira assinada em construtoras e incorporadoras. Todavia, ele pode desenvolver atividades por conta própria, como pessoa jurídica.

É importante frisar que o profissional não pode atuar como MEI, mas pode tentar outro enquadramento fiscal, como IE, EIRELI ou LTDA. Atuar de forma independente é uma boa alternativa para os profissionais, desde que encontre mercado para desempenhar atividades nessa modalidade.

Uma dúvida muito recorrente é: técnico em edificações pode assinar projeto? Sim, pode. Contudo, é importante levar uma série de informações em consideração, especialmente no que diz respeito à complexidade do projeto.

Por exemplo, um técnico em edificações, por conta da sua formação, não tem capacidade técnica para calcular a estrutura de uma ponte. Essas atribuições podem ser acessadas no Conselho e devem ser respeitadas.

Porém, isso não deve desanimar o profissional, pois existem uma série de atividades que eles podem desenvolver livremente, como a elaboração de projetos complementares e de pequenas edificações.

Cursos que o profissional deve fazer para se atualizar

O profissional pode fazer uma série de cursos para se atualizar perante o mercado. Os principais deles estão ligados às Normas Técnicas, que são obrigatórias e ditam a qualidade e exigências mínimas de uma série de processos.

Entre as principais normas, destacamos a norma de segurança do trabalho, que assegura a segurança dos profissionais em obra. É papel do profissional, portanto, cumprir e fazer cumprir as normas existentes.

Além dos cursos técnicos, que abordam sobre normas, é importante que o profissional tenha acesso ao conhecimento de gestão, pois essa habilidade é cada vez mais exigida entre os profissionais da construção civil.

E a gestão se estende desde as pessoas até os materiais. Por fim, é importante que o profissional também desenvolva habilidades em informática, especialmente o manuseio de softwares.

Entre os cursos que podemos indicar, destacamos aqui a Universidade OrçaFascio, que apresenta cursos completos e gratuitos sobre aspectos referentes ao planejamento, orçamento e gestão, indicada para profissionais que desejam aprender mais sobre gerenciamento de obras.

Sendo assim, saber o que é e o que faz um técnico em edificações é importante tanto para as empresas que atuam na construção civil quanto para quem anseia trabalhar com construção ou se tornar um técnico em edificações, mas ainda não sabe o que é a profissão.

Gostou do que leu? Então, conheça 8 habilidades que todo gerente de obras precisa ter.

Receba todas as nossas novidades sobre a construção civil

Cadastre-se agora na nossa newsletter, é grátis.

Downloads

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :

Posts relacionados

Construtechs ganham cada vez mais destaque no mercado

Trabalho em altura: 8 medidas para profissionais da construção

PBQP-H: o que é e como construtoras podem aderir ao programa